quinta-feira, 28 de julho de 2016

Voltar? Mas nem tanto assim.

Não é que eu tenha desistido, ainda... É só que eu preciso de um lugar pra escrever. E este é o único que me ocorre. Daí que este blog foi revivido.


Eu já não sou mais eu o bastante pra dizer que voltei. Sou uma criatura mutante. Inconstante. Não cheguei ainda à perfeição que dispense mudanças. Muitas mudanças, ainda. Então não é saber se estou ou não de volta. É saber se estou bem. E eu ainda não sei. Mas agora não cabe estar bem ou não. Agora cabe apenas estar. Aceitando ou não, eu estou. Gostando ou não, eu estou. E, querendo ou não, vou permanecer. Por hora só me cabe permanecer. Até que a singularidade me engula. Até que a minha existência seja sorvida pela maior gravidade da matéria, ou da vida. Até que eu sinta estirpar o espírito do corpo.

Nesse meio tempo, vou vivendo. Hora sol, hora lua. Hora brilhando, hora sendo iluminado. E algumas vezes desaparecendo. Pois nem toda lua é cheia.

Não direi jamais que voltei. Nem buscarei a fonte da minha fé. Perdi algo dentro de mim. E por não saber o que foi, deitarei numa folha seca e descerei o rio.

domingo, 10 de julho de 2016

Aviso a todos os meus amigos e contatos que, dentro de uma semana, pretendo me desligar das redes sociais. A quem quiser saber os meus motivos, eu digo apenas que algumas coisas devemos guardar para nós mesmos.

Se alguém tiver a necessidade de entrar em contato comigo, o meu whatsapp continuará ativo no número +55 11 992871505.

Sem mais.

quinta-feira, 1 de outubro de 2015

Forte como um menino

Nos combates tenho sido vencedor
Mas ao vencer eu também posso me ferir
Falam por aí que a minha força é demais
Sem ver que no meu peito eu escondo o meu pesar

Saibam pois que ao cair eu oro a meu Deus
Saibam quem é que me levanta se estou só
Espada em punho estou a chorar
Pois dentro da armadura
Só um menino há

Destemido busco encontrar a paz
Pois de Jesus a armadura é voraz
Dizem por aí que a mim ninguém vai derrotar
sem ver meus inimigos que me tentam sem parar

Saibam pois que ao cair eu oro a meu Deus
Saibam quem é que me levanta se estou só
Espada em punho estou a chorar
Pois dentro da armadura
Só um menino há


***


Eu ia colocar um vídeo da música, mas não achei ninguém que interpretasse como eu gostaria...

Será isso um sinal de que eu deveria começar a gravar videos para o youtube?

Naaahhh... Eu não gosto tanto assim da minha voz...

sexta-feira, 25 de setembro de 2015

Coisas que eu sei... Agora eu sei...



Eu quero ficar perto
De tudo o que acho certo
Até o dia em que eu mudar de opinião

A minha experiência
Meu pacto com a ciência
Meu conhecimento é minha distração

Coisas que eu sei
Eu adivinho sem ninguém ter me contado

Coisas que eu sei
O meu rádio relógio mostra o tempo errado
Aperte o play
Eu gosto do meu quarto 
Do meu desarrumado
Ninguém sabe mexer na minha confusão
É o meu ponto de vista
Não aceito turistas
Meu mundo ta fechado pra visitação


Coisas que eu sei
O medo mora perto das idéias loucas
Coisas que eu sei
Se eu for eu vou assim não vou trocar de roupaÉ minha Lei


Eu corto os meus dobrados
Acerto os meus pecados
Ninguém pergunta mais depois que eu já paguei

Eu vejo o filme em pausas
Eu imagino casas
Depois eu já nem lembro do que eu desenhei

Coisas que eu sei
Não guardo mais agendas no meu celular
Coisas que eu sei
Eu compro aparelhos que eu não sei usar
Eu já comprei
Ás vezes dá preguiça
Na areia movediça
Quanto mais eu mexo mais afundo em mim
Eu moro num cenário
Do lado imaginário
Eu entro e saio sempre quando eu tô afim


Coisas que eu sei
As noites ficam claras no raiar do dia
Coisas que eu seiSão coisas que antes eu somente não sabia...
Agora eu sei...!


segunda-feira, 16 de março de 2015

Vento no litoral

Essa poesia do Renato não reflete um momento da minha vida, mas me traz paz.


É gozado que muitas músicas aparentemmte tristes têm esse efeito, em mim. E paz é melhor quando partilhada.

https://www.youtube.com/watch?v=OR1_dmqAoGY

Vento No Litoral

Legião Urbana

De tarde quero descansar
Chegar até a praia e ver
Se o vento ainda está forte
E vai ser bom subir nas pedras
Sei que faço isso pra esquecer
Eu deixo a onda me acertar
E o vento vai levando
Tudo embora
Agora está tão longe
Ver a linha do horizonte me distrai
Dos nossos planos é que tenho mais saudade
Quando olhávamos juntos
Na mesma direção
Aonde está você agora
Além de aqui dentro de mim
Agimos certo sem querer
Foi só o tempo que errou
Vai ser difícil sem você
Porque você está comigo
O tempo todo
E quando vejo o mar
Existe algo que diz
Que a vida continua
E se entregar é uma bobagem
Já que você não está aqui
O que posso fazer
É cuidar de mim
Quero ser feliz ao menos
Lembra que o plano
Era ficarmos bem
Eieieieiei!
Olha só o que eu achei
Humrun
Cavalos-marinhos
Sei que faço isso
Pra esquecer
Eu deixo a onda me acertar
E o vento vai levando
Tudo embora